Economia

Peixes mais valiosos vão ter selo com a Marca Açores

  • 17 de Novembro de 2015
  • 900 Visualizações, Última Leitura a 24 Agosto 2019 às 20:02
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A empresa gestora das lotas na Região - a Lotaçor, aderiu ontem à Marca Açores e vai implementar no próximo ano um sistema de marcação de peixes com elevado valor comercial, que não só valoriza a origem Açores, como pretende que compradores e consumidores saibam, a qualquer momento e em tempo real, a origem do peixe, a altura em que foi capturado e até a forma como foi pescado.

Com o selo da Marca Açores serão, para já, marcadas nove espécies com elevado valor comercial: cherne; goraz; boca negra; peixão; rocaz;imperador; atum patudo; alfonsim e pargo. Mas este lote poderá aumentar depois do sistema ser implementado.

Mas como vai funcionar este sistema? Quando é descarregado no porto e antes de ser vendido em lota, cada peixe individualmente recebe o selo da Marca Açores. Trata-se de uma pequena etiqueta que fica ‘agrafada’ ao peixe, com a Marca Açores de um lado e um código de barras do outro.

Daí para a frente e em toda a cadeia comercial, até que o peixe seja cozinhado, vai ser possível saber através da leitura de um código de barras QR pela câmara instalada nos telemóveis e com ligação por internet à base de dados da Lotaçor, em que lota foi descarregado este peixe, em que dia foi capturado e com que arte de pesca e até em que  lote foi vendido.

Quer isto dizer que um consumidor pode confirmar ele próprio de onde vem um determinado peixe num supermercado, numa peixaria ou até nos restaurantes onde o peixe é exposto antes de ser cozinhado.

A Lotaçor ainda está neste momento a testar a melhor tecnologia de aplicação dos selos da Marca Açores aos peixes, num processo que deverá estar concluído até ao final deste ano.

Quanto ao seu alargamento a todas as 11 lotas dos Açores, só em 2016 ele deverá ser concretizado, quando o Governo Regional puder, com o recurso às verbas comunitárias do FEAMP, financiar na totalidade este que ainda é um projeto-piloto.

Para além de estimular a valorização do peixe dos Açores e do seu preço, pretende-se também com este novo sistema combater a fuga à lota, uma vez que o selo aplicado obrigatoriamente a este lote de nove espécies valiosas não é falsificável.

Recorde-se que nos Açores já existe um sistema de marcação para crustáceos, que não é tão seguro como o que agora está a ser testado, pelo que também os crustáceos deverão ser incluídos neste novo sistema, segundo revelou a Lotaçor.


Há falso peixe açoriano vendido em Espanha

A aplicação do selo da Marca Açores aos peixes com maior valor comercial tem também a intenção de combater a ‘falsificação’ do peixe açoriano, sobretudo na lota de Vigo, no norte de Espanha.

Têm surgido relatos de peixe de elevado valor comercial, como é o caso do goraz, que não tendo sido pescado nos Açores é vendido fraudulentamente em Vigo como sendo dos Açores para ter um preço mais elevado, derivado da imagem de qualidade associada ao peixe dos Açores.

Com a informação contida no código de barras e que não é falsificável, esta prática deverá acabar.


Fonte: Açoriano Oriental

 

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Oito? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos