Economia

Sócrates espera que apoios à economia abrande taxa de desemprego em 2010

  • 2 de Dezembro de 2009
  • 177 Visualizações, Última Leitura a 21 Setembro 2017 às 14:07
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O primeiro-ministro, José Sócrates, disse hoje esperar que a continuidade das políticas de apoio à economia conduza ao abrandamento do "ritmo de aumento do desemprego" no próximo ano.

"O desemprego subiu uma décima desde o último mês e isso quer dizer que, apesar de a nossa economia estar melhor agora e apesar de termos saído da recessão técnica, não está ainda a gerar empregos, ainda está a perdê-los", comentou o primeiro-ministro à margem da cerimónia da entrada em vigor do Tratado de Lisboa.

José Sócrates comentava assim os números hoje divulgados pelo Gabinete de Estatística da União Europeia segundo os quais a taxa de desemprego em Portugal atingiu 10,2 por cento em Outubro.

No entender do chefe do Governo, este cenário só poderá ser contrariado com políticas de incentivo à economia que permitam a criação de emprego.

"Espero que a continuação destas políticas possa finalmente abrandar o ritmo de aumento do desemprego no próximo ano", sublinhou.

"O aumento do défice em Portugal serviu para sustentar a nossa economia, para a fazer sair da recessão, estamos com um terceiro trimestre que regista um dos maiores crescimentos da Europa - este ano vamos ter um decréscimo económico muito inferior ao da média europeia - e isso deve-se às políticas que seguimos", afirmou.

O primeiro-ministro ressalvou que à falta destas medidas, levadas a cabo em toda a Europa desde o início do ano, "os números seriam ainda bem piores".

"Os cenários mais catastróficos do início do ano podemos hoje pô-los de parte graças à acção consequente dos Estados que aumentaram os seus défices, à semelhança do que fizemos em Portugal, para pomover um auxílio à economia e esse auxílio resultou", sublinhou.

Na zona euro, o desemprego manteve-se estável em Outubro face ao mês anterior, situando-se nos 9,8 por cento, a taxa mais elevada desde Janeiro de 1999, adiantam os dados do Eurostat.

Em Outubro de 2008, a taxa de desemprego na zona euro situava-se nos 7,9 por cento.

Nos 27 países-membros da União Europeia, a taxa de desemprego elevou-se para 9,3 por cento em Outubro, contra 9,2 por cento, em Setembro, e 7,3 por cento, em Outubro do ano passado.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Seis mais Cinco? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos