Economia

Região tem condições para ser destino turístico durante todo o ano

  • 20 de Novembro de 2009
  • 190 Visualizações, Última Leitura a 20 Agosto 2017 às 17:25
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

O director regional do Turismo, Miguel Cymbron, fala do actual momento do sector nos Açores, apresentando as novas apostas do Governo Regional para uma actividade que tem cada vez maior peso na economia açoriana.

“Os Açores não estão imunes à crise financeira internacional que provocou uma quebra no turismo mundial”. A ideia é defendida pelo director regional do Turismo, admitindo que a situação levou a uma quebra no número de dormidas no Arquipélago.

Miguel Cymbron realça, contudo, que mesmo assim “é de referir que nos mercados prioritários temos registado um comportamento muito positivo em vários países como a Alemanha, Itália e Holanda.

O mercado nacional e a Escandinávia foram aqueles que registaram um comportamento inferior quando comparados com anos anteriores”. Nos últimos tempos, o Governo Regional tem apostado no turismo de natureza, uma área que, segundo este responsável, deve ser potenciada.

“Temos a consciência que o nosso maior potencial para atracção de turistas se encontra na Natureza, especialmente na nossa relação entre o mar e a terra. Deste modo, a nossa política de desenvolvimento de produto está muito vocacionada a esta vertente.

Os Açores procederam, no último ano, a uma certa reformulação da sua política de promoção. Penso que é nestes anos menos positivos que isso deve ser feito, de forma que, no futuro, o mercado possa desenvolver-se de forma sustentada já tendo por base a nova mensagem: passámos de uma filosofia em que a Natureza se afirmava de forma contemplativa, para uma mensagem em que a ideia principal é a do contacto activo com o nosso meio ambiente.

Ou seja, estamos a trabalhar para apresentarmos a nossa Região, não só como um destino de uma beleza e riqueza ambientais únicas, mas também de um destino onde é possível desenvolver um vasto leque de actividades de contacto com a Natureza potenciadoras de novas experiências. É desta nova filosofia que nasce o lema (Pronto para o melhor tempo da sua vida?)”, diz o titular da pasta do Turismo.

Sobre os nichos de mercado em que se deve apostar, Miguel Cymbron afirma que “a ideia base que temos vindo a desenvolver pretende, efectivamente, que os Açores se afirmem no seu conjunto, mas também em mercados muito específicos que procuram uma actividade em concreto. Os nichos são uma forma de aumentar a penetração de mercado.

Ou seja, faz com que consigamos ir buscar outras franjas que não o generalista”. Por isso, considera que “temos conseguido algum sucesso, casos do mergulho, que tem permitido a divulgação de ilhas como as Flores, Corvo e Graciosa, o surf, o iatismo e os passeios pedestres, bem como a observação de cetáceos ou de aves.

Todas estas actividades, entre outras, contribuem de forma muito positiva para a promoção global do destino, mas são também excelentes veículos no que diz respeito à captação de nichos de mercado que trazem grande valor acrescentado ao sector.

Apesar dos desafios que se nos colocam, é com muita satisfação que, por exemplo, ainda recentemente, durante a Bienal Turismo Rural do Atlântico, que decorreu em S. Jorge, ficámos a saber que o turismo rural tem conhecido grande expansão e que 2009 se tem vindo a afirmar como um dos melhores anos de sempre”.


Mercado nórdico tem enorme potencial

Durante largos anos, principalmente em época baixa, o mercado nórdico assegurou uma quota muito importante dos turistas que visitavam a Região. Na opinião do director regional do Turismo esta não é uma aposta passada.

Miguel Cymbron diz que “o mercado Nórdico tem um enorme potencial para os Açores, conforme já o provou. No entanto, não está imune aos problemas conjunturais que têm assolado o mundo, em especial, neste caso, as questões cambiais. A aposta que fizemos julgo ser a mais acertada.

A entrada da SATA neste campo, assegurando uma parcela das ligações, permite que o destino Açores naquela área mantenha a capacidade de transporte conjugando-a, com a abertura do mercado a todos os operadores.

Esta operação é um bom exemplo da estratégia que tem vindo a ser desenvolvida e que resulta, mais concretamente, do trabalho conjunto que foi realizado entre a Secretaria Regional da Economia, a transportadora aérea açoriana, a câmara do comércio e indústria e dos empresários.

Um dos mais preciosos instrumentos com que os Açores podem contar neste momento de instabilidade financeira internacional é precisamente que todos se envolvam na resolução das dificuldades que vão surgindo”.

Comentários

Deixar Comentário

Quantos são Sete mais Nove? O que é isto?

Pesquisar

Conhecer Todos
Conhecer Todos