Comunicação e Eventos

Comunicado e Imprensa: Situação do Turismo (Setembro 2018)

  • 27 de Setembro de 2018
    • *
    • *
    • *
    • *
    • *

A Direção da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) e a sua Comissão de Turismo emite a seguinte comunicado:

1 - De acordo com a recente estatística publicada os estabelecimentos hoteleiros, no mês de julho, registaram 236,1 mil dormidas, representando um decréscimo homólogo de 2,2% relativamente ao ano anterior. Note-se que as ilhas Terceira, São Jorge e Graciosa apresentam um decréscimo de -1,0%, -3,3% e 2,7% respetivamente, numa altura em que as expectativas de crescimento eram elevadas.

Tendo em conta os números apresentados e o Indicador Avançado de Turismo, IAT-Açores, divulgado pelo SREA para o mês de agosto que prevê igualmente um decréscimo relativamente ao período homólogo do ano de 2017, considera esta Direção e a Comissão de Turismo que devem ser tomadas medidas urgentes pelo Governo Regional para reverter este cenário:

  • SATA AIR AÇORES deve rever o seu modelo de negócios de forma a aumentar o número de lugares disponíveis nos voos inter-ilhas. Foi notório durante todo este ano, a incapacidade operacional da SATA em encaminhar passageiros de São Miguel para as restantes ilhas.
  • AZORES AIRLINES deve tomar medidas urgentes para reverter o cenário lamentável de contínuos cancelamentos de voos, e alterações de última hora, nomeadamente oriundos dos Estados Unidos da América, colocando em causa os Açores como destino turístico de excelência, e prejudicando a economia da Região.
  • Criação de mais ligações aéreas diretas para a ilha terceira, oriundas de mercados turísticos que geram distribuição de riqueza no destino, como a Alemanha e o Canadá.

2 – A promoção do destino Açores no exterior é uma responsabilidade do Governo Regional, que foi passada para a ATA (Associação de Turismo dos Açores), por conveniência de financiamento. Após o anúncio do Governo Regional da sua saída da mesma, e da SATA já ter efetivado essa saída, e porque este é um tema central para o desenvolvimento do turismo na região, ficam as seguintes notas:

  • Tendo a ATA uma situação financeira preocupante, com dividas a fornecedores e bancos, tendo ainda valores relevantes a receber do Governo Regional, ao abrigo dos vários contratos programa assinados nos últimos anos, como pode o Governo Regional sair da ATA, deixando esse legado às empresas? Ficarão estas como associadas da ATA, ou seguirão o exemplo do Governo Regional e SATA, seus associados fundadores?
  • Assistimos nos últimos dois anos a uma saída de vários quadros com provas dadas na ATA. O que está a correr mal em mercados de referência, como a Alemanha e o Canadá, onde se nota um decréscimo de dormidas?
  • Numa era em que as campanhas digitais fazem parte da estratégia de qualquer destino, não vemos investimento em verdadeiras campanhas de marketing digital dos Açores ou mesmo na elaboração de filmes promocionais do destino direcionados para o perfil dos diferentes mercados.
  • Soubemos pelo Ministério Público, que a direção da ATA não poderia prestar declarações à Comissão Parlamentar da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, por estar a decorrer um processo que se encontra em fase de segredo de justiça. Além disso existindo ainda acusações, ainda que anónimas, a circular nas redes sociais, à gestão da ATA, questionamos os seus motivos. O que está a ser investigado?

Pesquisar

Mais recentes na Galeria

Ver Galeria